Monumento Almirante Tamandaré

29-NOV-2022

Foi inaugurado o monumento de homenagem a Joaquim Marques Lisboa, Almirante Tamandaré. Herói brasileiro e patrono da Marinha do Brasil, destacou-se pelos seus 66 anos de serviço à Pátria.

A cerimónia contou com a presença de várias individualidades, entre as quais: Raimundo Carreiro Silva, Embaixador do Brasil em Portugal; André Macedo, Contra-Almirante da Marinha do Brasil; Edgar Ribeiro, Vice-Almirante da Marinha Portuguesa;  Salvador Formiga, deputado do PS pelo círculo eleitoral de Leiria na Assembleia da República; José Filipe Ramalho, Presidente da Junta de Freguesia de Famalicão e Walter Chicharro, Presidente da Câmara Municipal da Nazaré.

O evento foi abrilhantado com a participação da Banda da Armada Portuguesa.


História

Em 13 de maio de 1768, nascia em Famalicão da Nazaré, o Sr. Francisco Marques, filho de Luis Marques e Teresa Maia que haviam celebrado matrimónio na Freguesia de Famalicão. Francisco foi batizado na Igreja de Nossa Senhora da Vitória e chegou ao Brasil em 1775, aos 7 anos de idade. Tornou-se comerciante na Vila de Rio Grande e, de 1802 a 1832, patrão-mor e piloto da Barra do Rio Grande. Uma vez que Famalicão da Nazaré era patriarcado da capital portuguesa, a família Marques incorporou o apelido Lisboa.

Em 15 de agosto de 1789, Francisco Marques Lisboa, agora com o novo apelido, casou-se em Porto Alegre, no Estado do Rio Grande do Sul, com Eufrásia Joaquina de Azevedo Lima. Desta bela união, nasceram 12 filhos sendo 6 homens e 6 mulheres. Dos homens, apenas um não seguiu a profissão militar, optando pela carreira diplomática. O mais conhecido foi Joaquim Marques Lisboa, que movido pelo ardoroso amor ao Brasil e às coisas do mar, iniciou a sua brilhante carreira na Marinha, aos 15 anos de idade, como voluntário da recém-criada Armada Imperial.

Durante sua extensa e exitosa carreira, lutou, com honra e tenacidade, pela integridade do Brasil, em diversos episódios, ao longo do século XIX. E já como Almirante comandou as Forças Navais Brasileiras durante a Guerra da Tríplice Aliança, o maior conflito armado já ocorrido no continente sul-americano.

A sua invulgar carreira, fervor patriótico, além de seus méritos e comportamentos exemplares, renderam-lhe o título de Marquês de Tamandaré

Além de exímio marinheiro, destacou-se pela sua honradez, simplicidade e abnegação, colocando sempre os interesses do Brasil e da Marinha em primeiro lugar, tanto nas situações mais simples ou corriqueiras, quanto nas grandes decisões que tomou como chefe naval.

Pela sua notável contribuição à consolidação do Brasil como uma grande nação, foi escolhido como Patrono da Marinha do Brasil, tendo o seu nome gravado no Livro de Heróis da Pátria, em exposição permanente em Brasília, Capital Federal brasileira.

Em 2007, no ano do bicentenário do nascimento do Almirante Tamandaré, seu pai, o famalicense Francisco Marques Lisboa, tornou-se o Patrono da Pilotagem brasileira.


  • Partilhar